Bruno Augusto Valverde Marcondes de Moura
Caminhada, poesia, ecologia e geografia. Uma trincheira de luta contra a crise civilizatória.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

Chilenos
No deserto do Atacama
O cobre desertifica o homem
Nas águas geladas do Pacífico
Em Arica, Antofagasta e Iquique
O homem pescado vira farinha de peixe
No Vale Central
O homem é pescado como uva
A uva esmaga
A terra e o homem
O homem é engarrafado
Numa garrafa de vinho
O homem é reduzido
A uma pêra
Um pêssego
Uma ameixa
Uma maça
No lacustre e verde Sul
O homem é cortado como madeira
O homem vale menos
Que um quilo de salmão
Enquanto os lagos florescem e frutificam
O homem seca
O chileno não pode ser reduzido
A um copo de vinho
E um pedaço de Salmão
Bruno Valverde
Enviado por Bruno Valverde em 10/11/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários