Bruno Augusto Valverde Marcondes de Moura
Caminhada, poesia, ecologia e geografia. Uma trincheira de luta contra a crise civilizatória.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

Marco
Marco zero
Jaleco branco
Carisma e sorriso garanhão
Várias flores na mão
Cinco estrelas na terra
Cigarro na boca
Cafezinho na mão
Vinho na taça
Bacalhoada no panelão
Um jogo de baralho na mesa
Um dia pegou o trem
Atravessou um rio de nuvens
Alcançou o mar de céu
Deu um abraço no vô
Conversaram um bocado
Duas estrelas
Num barco de nuvens
Navegando no céu
Nunca antes navegado
Marco cem

Poema em memória pela morte de meu tio Marco Marcondes de Moura
Bruno Valverde
Enviado por Bruno Valverde em 14/05/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários