Bruno Augusto Valverde Marcondes de Moura
Caminhada, poesia, ecologia e geografia. Uma trincheira de luta contra a crise civilizatória.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Mariana

Cereja que baila
Em galhos retorcidos
Na cidade de folhas
Em busca do mar de primavera
Cereja que navega
Com corpo e alma de sereia
Nos mares de sol e estrelas
Cereja que dança
Com pássaros a voar
Cereja que canta
Com o canto dos pássaros
Cereja que abre sua flor
Para uma abelha que para no ar
Cereja que gera barcos de frutos
Cereja que gera barcos de sementes
Cereja que gera a cereja do amanhã
Cereja que colore
O céu de vermelho
O preto e amarelo das abelhas
As asas das borboletas
As penas dos pássaros
Cereja de sol a sol
Cereja de céu a céu
Cereja de coração a coração
Cereja de primavera a primavera
Bruno Valverde
Enviado por Bruno Valverde em 08/02/2018
Alterado em 08/02/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários