Bruno Augusto Valverde Marcondes de Moura
Caminhada, poesia, ecologia e geografia. Uma trincheira de luta contra a crise civilizatória.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Nélson Mandela

Leão da África
Que navegou
Nos mares da opressão do Apartheid
Que caminhou a pé
No deserto da escuridão do Apartheid

Leão que lutou pela liberdade de seu povo
Leão que pregou a não violência
Leão que lutou contra o racismo do opressor

Torturaram o Leão
Prenderam o Leão
Mas somente seu corpo
Pois a consciência do Leão
Sempre esteve livre
Dizia Mahatma Ghandi
Tem gente livre que vive presa
Tem gente presa que é livre
Leão que resistiu
Vinte e sete anos na cadeia
Leão que não se acovardou
Nunca usou suas garras
Nem suas presas
Nem contra os opressores
Nem contra os oprimidos
Leão que é Leão
Luta pelo oprimido
Perdoa o opressor

Leão que aguentou mares de fúria do opressor
Leão que conheceu uma flor venenosa
Leão que ganhou o Nobel da Paz
Leão que governou a África do Sul
Leão que venceu o racismo
Leão que venceu a violência pela não violência
Leão que conquistou uma flor de Moçambique
Leão símbolo da paz
Leão símbolo do combate ao Apartheid
Leão símbolo da África do Sul
Leão símbolo do mundo
Mandela luz da África
Leão da Paz
Leão da Resistência
Leão da não violência
Descanse em paz Leão

 
Bruno Valverde
Enviado por Bruno Valverde em 22/01/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários